CRIAÇÕES EM SITE SPECIFIC

As criações em Site Specific revelam uma relação directa da arquitectura e do contexto com o acto criativo.
O nosso ponto de partida é um estudo intensivo de todas as componentes do espaço (físico, arquitectónico, social, histórico, contextual e humano),
para que posteriormente possamos fazer a sua apropriação e invadi-lo com ideias, personagens, conceitos, imaginários…
integrando o público como elemento ativo e vivo nas nossas atuações.
São obras dinâmicas, revestidas com uma forte componente de interação com o público e uma boa dose de improvisação.

CRIAÇÕES EM SITE SPECIFIC

As criações em Site Specific revelam uma relação directa da arquitectura e do contexto com o acto criativo.
O nosso ponto de partida é um estudo intensivo de todas as componentes do espaço (físico, arquitectónico, social, histórico, contextual e humano), para que posteriormente possamos fazer a sua apropriação e invadi-lo com ideias, personagens, conceitos, imaginários… integrando o público como elemento ativo e vivo nas nossas atuações.
São obras dinâmicas, revestidas com uma forte componente de interação com o público e uma boa dose de improvisação.

CRIAÇÕES EM SITE SPECIFIC

As criações em Site Specific revelam uma relação directa da arquitectura e do contexto com o acto criativo. O nosso ponto de partida é um estudo intensivo de todas as componentes do espaço (físico, arquitectónico, social, histórico, contextual e humano), para que posteriormente possamos fazer a sua apropriação e invadi-lo com ideias, personagens, conceitos, imaginários… integrando o público como elemento ativo e vivo nas nossas atuações. São obras dinâmicas, revestidas com uma forte componente de interação com o público e uma boa dose de improvisação.

Marinheiros e Naufrágios

2017 | Comemorações dos 80 Anos do
Museu Marítimo de Ílhavo

Marinheiros e Naufrágios é o tema da performance que foi escrita pela Companhia Radar 360º, para celebrar o 80.º aniversário do Museu Marítimo de Ílhavo.
Mergulhar na temática foi tão imersivo como mergulhar dentro de nós próprios! Artisticamente, o mar sempre foi uma fonte de inspiração inesgotável. Da poesia à pintura, da fotografia ao teatro, foram imensas as referencias que nos estimularam a imaginação e a perceção. Nesta performance, a Companhia Radar 360º, estudou os acontecimentos trágicos mais relevantes e, sem a pretensão de fazer uma recriação histórica, interpretou estes factos e reinventou as suas histórias com um sentido estético contemporâneo, teatral e poético. A dramaturgia da peça encontra a sua âncora numa visita guiada ao museu, onde personagens reais e ficcionados, desafiam a imaginação do público, relacionando factos com ficção, numa performance dinâmica e interactiva.

Género: Circo e Teatro Físico

Direção Artística e Sonoplastia: António Franco de Oliveira
Direção Plástica e Figurinos: Julieta Rodrigues

Intérpretes: Bruno Machado, Jan Raga, Julieta Rodrigues,
Mila Xavier, Ricardo Paz, Rita Fernandes
Produção: Museu Maritimo de Ilhavo e Radar 360º

MARINHEIROS & NAUFRÁGIOS

2017 | Comemorações dos 80 Anos do
Museu Marítimo de Ílhavo

Marinheiros e Naufrágios é o tema da performance que foi escrita pela Companhia Radar 360º, para celebrar o 80.º aniversário do Museu Marítimo de Ílhavo. Mergulhar na temática foi tão imersivo como mergulhar dentro de nós próprios! Artisticamente, o mar sempre foi uma fonte de inspiração inesgotável. Da poesia à pintura, da fotografia ao teatro, foram imensas as referencias que nos estimularam a imaginação e a perceção. Nesta performance, a Companhia Radar 360º, estudou os acontecimentos trágicos mais relevantes e, sem a pretensão de fazer uma recriação histórica, interpretou estes factos e reinventou as suas histórias com um sentido estético contemporâneo, teatral e poético. A dramaturgia da peça encontra a sua âncora numa visita guiada ao museu, onde personagens reais e ficcionados, desafiam a imaginação do público, relacionando factos com ficção, numa performance dinâmica e interactiva.

Género: Circo e Teatro Físico
Direção Artística e Sonoplastia: António Franco de Oliveira
Direção Plástica e Figurinos: Julieta Rodrigues
Intérpretes: Bruno Machado, Jan Raga, Julieta Rodrigues,
Mila Xavier, Ricardo Paz, Rita Fernandes
Produção: Museu Maritimo de Ilhavo e Radar 360º

MARINHEIROS & NAUFRÁGIOS

2017 | Comemorações dos 80 Anos do
Museu Marítimo de Ílhavo

Marinheiros e Naufrágios é o tema da performance que foi escrita pela Companhia Radar 360º, para celebrar o 80.º aniversário do Museu Marítimo de Ílhavo. Mergulhar na temática foi tão imersivo como mergulhar dentro de nós próprios! Artisticamente, o mar sempre foi uma fonte de inspiração inesgotável. Da poesia à pintura, da fotografia ao teatro, foram imensas as referencias que nos estimularam a imaginação e a perceção. Nesta performance, a Companhia Radar 360º, estudou os acontecimentos trágicos mais relevantes e, sem a pretensão de fazer uma recriação histórica, interpretou estes factos e reinventou as suas histórias com um sentido estético contemporâneo, teatral e poético. A dramaturgia da peça encontra a sua âncora numa visita guiada ao museu, onde personagens reais e ficcionados, desafiam a imaginação do público, relacionando factos com ficção, numa performance dinâmica e interactiva.

Género: Circo e Teatro Físico
Direção Artística e Sonoplastia: António Franco de Oliveira
Direção Plástica e Figurinos: Julieta Rodrigues
Intérpretes: Bruno Machado, Jan Raga, Julieta Rodrigues,
Mila Xavier, Ricardo Paz, Rita Fernandes
Produção: Museu Maritimo de Ilhavo e Radar 360º

Piso 6

2016 | Formação ao 1º Ano de Teatro da
Escola de Superior de Música e Artes do Espectáculo

Escrita para o Piso 6 do Parque de Estacionamento do Silo Auto – Porto
O objectivo deste encontro com os alunos da Esmae, era o trabalho sobre um espaço não convencional. Decidimos partir para a investigação de um dos lugares enigmáticos da cidade do Porto – O Parque de Estacionamento do Silo Auto. Os conteúdos da peça foram sendo produzidos em conjunto, a partir de experiencias e improvisações no local. “Piso 6” transformou-se numa peca de teatro físico e visual inspirada no universo da banda desenhada Sin City, do autor Frank Miller. Com um olhar distópico sobre a sociedade contemporânea, o discurso da obra foi organizado num tom de sátira, onde o humor e o absurdo estiveram presentes, para pontuar e organizar as ideias mais perversas da narrativa.

Género: Teatro de Rua
Direcção Artística: António Franco de Oliveira e Julieta Rodrigues
Apoio ao Movimento: Inês Lua
Interpretação, Cenografia, Luz e Sonoplastia: Alunos do 1º Ano de Teatro da Escola de Superior de Música e Artes do Espectáculo
Produção: Esmae e Radar 360º

Piso 6

2016 | Formação ao 1º Ano de Teatro da
Escola de Superior de Música e Artes do Espectáculo

Escrita para o Piso 6 do Parque de Estacionamento do
Silo Auto – Porto
O objectivo deste encontro com os alunos da Esmae, era o trabalho sobre um espaço não convencional. Decidimos partir para a investigação de um dos lugares enigmáticos da cidade do Porto – O Parque de Estacionamento do Silo Auto. Os conteúdos da peça foram sendo produzidos em conjunto, a partir de experiencias e improvisações no local. “Piso 6” transformou-se numa peca de teatro físico e visual inspirada no universo da banda desenhada Sin City, do autor Frank Miller. Com um olhar distópico sobre a sociedade contemporânea, o discurso da obra foi organizado num tom de sátira, onde o humor e o absurdo estiveram presentes, para pontuar e organizar as ideias mais perversas da narrativa.

Género: Teatro de Rua
Direcção Artística: António Franco de Oliveira e Julieta Rodrigues
Apoio ao Movimento: Inês Lua
Interpretação, Cenografia, Luz e Sonoplastia: Alunos do 1º Ano de Teatro da Escola de Superior de Música e Artes do Espectáculo
Produção: Esmae e Radar 360º

Piso 6

2016 | Formação ao 1º Ano de Teatro da
Escola de Superior de Música e Artes do Espectáculo

Escrita para o Piso 6 do Parque de Estacionamento do Silo Auto – Porto. O objectivo deste encontro com os alunos da Esmae, era o trabalho sobre um espaço não convencional. Decidimos partir para a investigação de um dos lugares enigmáticos da cidade do Porto – O Parque de Estacionamento do Silo Auto. Os conteúdos da peça foram sendo produzidos em conjunto, a partir de experiencias e improvisações no local. “Piso 6” transformou-se numa peca de teatro físico e visual inspirada no universo da banda desenhada Sin City, do autor Frank Miller. Com um olhar distópico sobre a sociedade contemporânea, o discurso da obra foi organizado num tom de sátira, onde o humor e o absurdo estiveram presentes, para pontuar e organizar as ideias mais perversas da narrativa.

Género: Teatro de Rua
Direcção Artística: António Franco de Oliveira e Julieta Rodrigues
Apoio ao Movimento: Inês Lua
Interpretação, Cenografia, Luz e Sonoplastia: Alunos do 1º Ano de Teatro da Escola de Superior de Música e Artes do Espectáculo
Produção: Esmae e Radar 360º

Porto Walks

2012-13 | Visitas Guiadas – Porto

Porto Walks foi um programa de visitas teatralizadas à cidade do Porto.
O intuito deste projecto, foi expor informação de relevo literário, histórico e científico, de forma apelativa, diferente e relevante. Desenhando um arco que compreende o Porto do século XVI até meados do século XIX, o nosso trabalho envolveu três visitas dramatizadas por actores, representando figuras históricas que contribuíram para a riqueza da cidade. As visitas eram acessíveis a públicos de todas as idades, e feitas em 3 idiomas. A riqueza dos conteúdos e exemplos históricos foi transmitida com uma linguagem lúdica e dinâmica, num registo de teatro de rua, sempre com humor e grande interação entre público e guias.

Género: Teatro de Rua 

Direção Artística: Julieta Rodrigues
Figurinos: Julieta Rodrigues

Intérpretes: António Franco de Oliveira, Jaime Soares, Julieta Rodrigues,
José Pedro Ferraz.
Produção: Visionarium (Centro de Ciência do Europarque), Material e Radar 360º

Porto Walks

2012-13 | Visitas Guiadas – Porto

Porto Walks foi um programa de visitas teatralizadas à cidade do Porto. O intuito deste projecto, foi expor informação de relevo literário, histórico e científico, de forma apelativa, diferente e relevante. Desenhando um arco que compreende o Porto do século XVI até meados do século XIX, o nosso trabalho envolveu três visitas dramatizadas por actores, representando figuras históricas que contribuíram para a riqueza da cidade. As visitas eram acessíveis a públicos de todas as idades, e feitas em 3 idiomas. A riqueza dos conteúdos e exemplos históricos foi transmitida com uma linguagem lúdica e dinâmica, num registo de teatro de rua, sempre com humor e grande interação entre público e guias.

Género: Teatro de Rua
Direção Artística: Julieta Rodrigues
Figurinos: Julieta Rodrigues
Intérpretes: António Franco de Oliveira, Jaime Soares, Julieta Rodrigues,
José Pedro Ferraz.
Produção: Visionarium (Centro de Ciência do Europarque), Material e Radar 360º

Porto Walks

2012-13 | Visitas Guiadas – Porto

Porto Walks foi um programa de visitas teatralizadas à cidade do Porto. O intuito deste projecto, foi expor informação de relevo literário, histórico e científico, de forma apelativa, diferente e relevante. Desenhando um arco que compreende o Porto do século XVI até meados do século XIX, o nosso trabalho envolveu três visitas dramatizadas por actores, representando figuras históricas que contribuíram para a riqueza da cidade. As visitas eram acessíveis a públicos de todas as idades, e feitas em 3 idiomas. A riqueza dos conteúdos e exemplos históricos foi transmitida com uma linguagem lúdica e dinâmica, num registo de teatro de rua, sempre com humor e grande interação entre público e guias.

Género: Teatro de Rua
Direção Artística: Julieta Rodrigues
Figurinos: Julieta Rodrigues
Intérpretes: António Franco de Oliveira, Jaime Soares, Julieta Rodrigues, José Pedro Ferraz.
Produção: Visionarium (Centro de Ciência do Europarque), Material e Radar 360º

RITUAL DA QUEIMADA

2006 | Espetáculo na Igreja Matriz – Sta Maria da Feira

Este projeto Intervém sobre uma arquitectura antiga, entre o estilo românico e o gótico. Situa-se esteticamente no imaginário do grotesco, numa linha cronológica próxima da idade média. Baseado nas raízes profundas da idade das trevas,  e na obscuridade das relações conflituosas entre as diferentes classes sociais, esta intervenção artística reflecte-se na sociedade e no Homem contemporâneo.
Este projecto fundamenta a sua existência numa relação directa com as pessoas locais do sítio onde é implementado. Procuramos uma colaboração com grupos, companhias ou associações, nas áreas da música popular e do malabarismo/manipulação de fogo.

Género: Circo e Teatro Físico
Direção Artística: António Franco de Oliveira
Direção Plástica e Figurinos: Julieta Rodrigues
Sonoplastia: Francisco Soares

Intérpretes: Alberto Carvalhal, António Franco de Oliveira, Francisco Soares, Isadora Branco, Julieta Rodrigues, Martin, Paulina Almeida, Músicos e Associações Locais
Produção: Feira Viva e Radar 360º

RITUAL DA QUEIMADA

2006 | Espetáculo na Igreja Matriz – Sta Maria da Feira

Este projeto Intervém sobre uma arquitectura antiga, entre o estilo românico e o gótico. Situa-se esteticamente no imaginário do grotesco, numa linha cronológica próxima da idade média. Baseado nas raízes profundas da idade das trevas,  e na obscuridade das relações conflituosas entre as diferentes classes sociais, esta intervenção artística reflecte-se na sociedade e no Homem contemporâneo.
Este projecto fundamenta a sua existência numa relação directa com as pessoas locais do sítio onde é implementado. Procuramos uma colaboração com grupos, companhias ou associações, nas áreas da música popular e do malabarismo/manipulação de fogo.

Género: Circo e Teatro Físico
Direção Artística: António Franco de Oliveira
Direção Plástica e Figurinos: Julieta Rodrigues
Sonoplastia: Francisco Soares
Intérpretes: Alberto Carvalhal, António Franco de Oliveira, Francisco Soares, Isadora Branco, Julieta Rodrigues, Martin, Paulina Almeida, Músicos e Associações Locais
Produção: Feira Viva e Radar 360º

RITUAL DA QUEIMADA

2006 | Espetáculo na Igreja Matriz
Sta Maria da Feira

Este projeto Intervém sobre uma arquitectura antiga, entre o estilo românico e o gótico. Situa-se esteticamente no imaginário do grotesco, numa linha cronológica próxima da idade média. Baseado nas raízes profundas da idade das trevas,  e na obscuridade das relações conflituosas entre as diferentes classes sociais, esta intervenção artística reflecte-se na sociedade e no Homem contemporâneo.
Este projecto fundamenta a sua existência numa relação directa com as pessoas locais do sítio onde é implementado. Procuramos uma colaboração com grupos, companhias ou associações, nas áreas da música popular e do malabarismo/manipulação de fogo.

Género: Circo e Teatro Físico
Direção Artística: António Franco de Oliveira
Direção Plástica e Figurinos: Julieta Rodrigues
Sonoplastia: Francisco Soares
Intérpretes: Alberto Carvalhal, António Franco de Oliveira, Francisco Soares, Isadora Branco, Julieta Rodrigues, Martin, Paulina Almeida, Músicos e Associações Locais
Produção: Feira Viva e Radar 360º

Bosque

2006-07 | Espetáculo para Zona do Bosque – Sta Maria da Feira

Espectáculo interactivo e dinâmico, criado em site specific, para uma zona de floresta.
O bosque pelas suas características paisagísticas, pelos seus inúmeros percursos e atalhos, é desde sempre o lugar mais propício ás divagações do pensamento.
Aqui esbate-se a fronteira entre o real e o fantástico. O espaço ilógico das florestas, das evasões cavalheirescas e das aventuras amorosas, invade as páginas dos livros iluminados. Reunimos uma série de histórias deste local e demos formação a elementos da comunidade, que passaram  a integrar  a equipa performativa. Construímos instalações plásticas e cenográficas, que nos permitiram traçar um fio condutor e uma linha dramatúrgica. Exploramos o espaço aéreo, implementando o nosso circo através de percursos improváveis de personagens que habitaram o ar.
Tudo isto resultou num percurso, numa história e numa viagem por este espaço das Guimbras.

Género: Circo e Teatro Físico

Direção Artística: António Franco de Oliveira
Direção Plástica: Pedro Leal
Figurinos: Paulina Almeida

Intérpretes: Alberto Carvalhal, António Franco de Oliveira, Francisco Soares, Inês Gregório, Isadora Branco, Julieta Rodrigues, Martin, Paulina Almeida,
Pedro Leal e Ricardo Mondim
Produção: Feira Viva e Radar 360º

Bosque

2006-07 | Espetáculo para Zona do Bosque – Sta Maria da Feira

Espectáculo interactivo e dinâmico, criado em site specific, para uma zona de floresta.
O bosque pelas suas características paisagísticas, pelos seus inúmeros percursos e atalhos, é desde sempre o lugar mais propício ás divagações do pensamento.
Aqui esbate-se a fronteira entre o real e o fantástico. O espaço ilógico das florestas, das evasões cavalheirescas e das aventuras amorosas, invade as páginas dos livros iluminados. Reunimos uma série de histórias deste local e demos formação a elementos da comunidade, que passaram  a integrar  a equipa performativa. Construímos instalações plásticas e cenográficas, que nos permitiram traçar um fio condutor e uma linha dramatúrgica. Exploramos o espaço aéreo, implementando o nosso circo através de percursos improváveis de personagens que habitaram o ar.
Tudo isto resultou num percurso, numa história e numa viagem por este espaço das Guimbras.

Género: Circo e Teatro Físico
Direção Artística: António Franco de Oliveira
Direção Plástica: Pedro Leal
Figurinos: Paulina Almeida
Intérpretes: Alberto Carvalhal, António Franco de Oliveira, Francisco Soares, Inês Gregório, Isadora Branco, Julieta Rodrigues, Martin, Paulina Almeida,
Pedro Leal e Ricardo Mondim
Produção: Feira Viva e Radar 360º

BOSQUE

2006-07 | Espetáculo para Zona do Bosque
Sta Maria da Feira

Espectáculo interactivo e dinâmico, criado em site specific, para uma zona de floresta.
O bosque pelas suas características paisagísticas, pelos seus inúmeros percursos e atalhos, é desde sempre o lugar mais propício ás divagações do pensamento.
Aqui esbate-se a fronteira entre o real e o fantástico.
O espaço ilógico das florestas, das evasões cavalheirescas e das aventuras amorosas, invade as páginas dos livros iluminados. Reunimos uma série de histórias deste local e demos formação a elementos da comunidade, que passaram  a integrar  a equipa performativa. Construímos instalações plásticas e cenográficas, que nos permitiram traçar um fio condutor e uma linha dramatúrgica. Exploramos o espaço aéreo, implementando o nosso circo através de percursos improváveis de personagens que habitaram o ar. Tudo isto resultou num percurso, numa história e numa viagem por este espaço das Guimbras.

Género: Circo e Teatro Físico
Direção Artística: António Franco de Oliveira
Direção Plástica: Pedro Leal
Figurinos: Paulina Almeida
Intérpretes: Alberto Carvalhal, António Franco de Oliveira, Francisco Soares, Inês Gregório, Isadora Branco, Julieta Rodrigues, Martin, Paulina Almeida,
Pedro Leal e Ricardo Mondim
Produção: Feira Viva e Radar 360º